Justiça é zelar pela igualdade, zelar pela paz e pela ordem. Justiça é punir, senão evitar a punição, e sobretudo, garantir o bem e a igualdade. Atualmente, no Brasil, temos o descaso, a impunidade e, portanto, a ausência de justiça.

O critério definidor desse ente tem variado ao longo do tempo: ora atrelada ao poder (posição), ora atrelada a oposição. Distinguir e ser justo é uma dádiva, que nos falta. E nos falta por um caráter histórico arcaico, de exaltação do poder, de deseducação e de um plano para a manutenção da ignorância, que tanto beneficia nossos governantes. Espero, um dia, poder alterar esse meu discurso, mas, por já, hei de mantê-lo!